Hélio Engholm Jr

Especializado em Engenharia de Software

DO365Entendendo a Computação em Nuvem

Imagine um cenário em que você estaria disponibilizando aplicações de uma maneira que fosse fácil de ser disponibilizada, não necessitando de esforços devidos à instalação e atualizações por parte de seus clientes e que você pudesse estar realizando constantes atualizações nestas aplicações sem nenhum esforço por parte deles. Neste cenário, você estaria disponibilizando software como serviço e as empresas pagariam o uso por mês e pelo número de usuários, utilizando seus softwares como serviço.

Imagine ainda que, além disto, você oferecesse um serviço adicional de armazenamento de dados em seus Data Centers, permitindo a seus clientes terem acesso aos mesmos com segurança de praticamente qualquer lugar a qualquer momento, utilizando ou não os softwares que você também disponibiliza como serviço.

Estamos falando na Cloud Computing, computação em nuvem.

 

Definindo computação em nuvem

Um novo paradigma na área de TI apareceu com o conceito de computação nas nuvens. A ideia básica é ter seus dados e aplicações disponibilizadas via web, sem a necessidade de instalações ou armazenamento de dados locais. Deste modo, computação nas nuvens significa a possibilidade de se acessar arquivos, dados e aplicações de praticamente qualquer lugar e a qualquer momento, utilizando a Internet com o computador, o browser ou dispositivos móveis.

Tivemos uma rápida evolução nesta área, pois inicialmente as empresas começaram a investir bastante nesta tecnologia por conta própria, mas logo em seguida a complexidade de manter softwares sendo executados nas nuvens deixou de ser problema e custar tão caro, pois começamos a ter a possibilidade de contratar estes serviços.

A Microsoft disponibiliza atualmente o Office, o Lync, o SharePoint e o Exchange em um único produto que pode ser acessado pela Internet através do Office 365, utilizando o paradigma das nuvens e sendo oferecido como serviço. Ao utilizar o Office 365, lançado no Brasil em 2013, temos a tranquilidade de saber que as aplicações que estamos utilizando estão hospedadas nos Data Centers da grande corporação Microsoft, cuidada por seus engenheiros certificados e especializados na plataforma Microsoft que, além de tudo, respeita a disciplina da segurança da informação explicada no item 1.5.4 deste livro. Com relação aos dados e artefatos gerados pelas aplicações por nós utilizadas, podemos manter cópias locais que quando alteradas são sincronizadas com as armazenados nas nuvens da Microsoft.

Neste caso, temos a Microsoft que oferece estes serviços classificados como públicos em um alto grau de eficiência. Apesar disto podemos ter casos em que a empresa vai precisar ou preferir utilizar uma nuvem privada ou híbrida.

Através desta solução utilizamos serviços em uma infraestrutura gerenciada pelo provedor do serviço nas nuvens, e não pelo nosso departamento de TI.

Para os mais cuidadosos ou desconfiados, sugiro começarem uma transição gradual até que se sintam confortáveis para fazer uma migração completa para as nuvens.

 

Para onde estamos indo?

De acordo com o centro de pesquisa Pew a maioria das pessoas trabalhará em softwares disponibilizados pela Internet no paradigma das nuvens em 2020, mesmo em aplicações de smartphones. A nuvem continuará a se expandir através das indústrias provendo acesso a sofisticadas redes.

Durante o fenomenal crescimento da utilização das nuvens, grandes empresas como a Microsoft, Apple, Facebook e Google realizarão importantes e significativas contribuições para a computação nas nuvens e disponibilização serviços online confiáveis.

Muitas empresas já estão utilizando ou estão abertas a utilizar a computação em nuvem privada com as seguintes finalidades:

• Continuidade de negócios e recuperação de desastres.

• Segurança.

• Arquivo de dados de longo prazo.

• Infraestrutura de ambiente de testes.

• Mineração de Dados.

• Data warehouses.

Uma porcentagem menor de empresas adotou a utilização da nuvem pública, incluindo os seguintes recursos:

• Conferências por áudio/vídeo/web.

• Capacidade de rede voltada a Data centers.

• Desktop.

• Armazenamento de arquivos.

• Servidores.

• Serviços de Help desk .

• Infraestrutura de ambiente de testes.

• Treinamento e demonstração.

• Infraestrutura de voz sobre Internet (VoIP)

• Wide area network (WAN).

Office 365 permite-nos utilizar a computação nas nuvens que oferece exatamente o que nossa empresa ou negócio necessita. As quatro principais tecnologias (Exchange, SharePoint, Office Web Apps e Lync) nos permiti manter contato por e-mail, em reuniões nas nuvens, e programar, compartilhar com a equipe local (tanto para intranets e Internet), colaborar em qualquer tipo de projeto utilizando aplicativos conhecidos do Office e permanecer em contato utilizando-se de mensagens instantâneas e vídeo conferência.




+ Artigos